A importância do pensamento baseado no risco

06.11.2017

Ciclo PDCA_ISO31000_pensamento baseado no risco

O pensamento baseado no risco e a ISO 9001:2015

 

Afinal, o que é o pensamento baseado no risco?

Uma das principais alterações na revisão 2015 da ISO 9001 é o estabelecimento de uma abordagem sistemática para considerar riscos, no lugar de tratar a "prevenção" como uma componente separada de um sistema de gestão da qualidade.

 

Existem riscos em todos os sistemas, processos e funções. O pensamento baseado no risco assegura que esses riscos são:

  • identificados
  • considerados
  • controlados

ao longo do design e uso do sistema de gestão da qualidade.

Nas edições anteriores da ISO 9001, a cláusula sobre acções preventivas estava separada do todo. Ao utilizar o pensamento baseado no risco, a consideração dos riscos é integral e torna-se preventiva em vez de reactiva na prevenção ou redução dos efeitos indesejáveis, através da identificação e acção precoces.

O pensamento baseado no risco esteve sempre presente na ISO 9001 - a revisão 2015 torna-o parte de todo o sistema de gestão.

Na ISO 9001:2015 o pensamento baseado no risco precisa ser considerado desde o início e ao longo de todo o sistema, fazendo com que as acções preventivas sejam inerentes às actividades de planeamento, operação, análise e avaliação.

O pensamento baseado no risco já é parte da abordagem por processos.

Nem todos os processos de um sistema de gestão da qualidade representam o mesmo nível de risco, em termos da capacidade da organização para atingir os seus objectivos.

O risco é normalmente entendido como sendo apenas negativo. No entanto, os efeitos do risco podem negativos ou positivos e na ISO 9001:2015 os riscos e as oportunidades andam amiúde juntos.

Considera-se uma oportunidade um conjunto de circunstâncias que fazem com que seja possível fazer algo e aproveitar, ou não, uma oportunidade apresenta diferentes níveis de risco.

Motivos para considerar a ISO 31000

A norma ISO 9001:2015 não obriga a uma análise formal do risco ou um documento específico. A informação deve ser mantida e estar acessível seja em formato electrónico, audio, vídeo, escrito, etc.

A ISO 31000 (Princípios e directrizes para gestão do risco) pode ser um referêncial muito útil para organizações que pretendam implementar um procedimento mais formal, mas não é obrigatório.

Uma gestão do risco eficaz pode ajudar as organizações a melhorar a sua performance a nível ambiental, económica, segurança e reputação profissional.

A ISO 31000 fornece princípios, formas e processos para gerir o risco. Pode ser utilizada por qualquer organização independentemente do seu tamanho, actividade ou sector.

Porque usar o pensamento baseado no risco?

Ao considerar o risco ao longo de todo o sistema e de todos os processos, a probabilidade de atingir os objectivos definidos é aumentada; o output é mais consistente e os clientes podem confiar que irão receber o produto ou serviço esperado.

O pensamento baseado no risco:

  • melhora a governança
  • estabelece uma cultura proactiva de melhoria
  • assegura a consistência da qualidade de produtos e serviços
  • melhora a confiança e a satisfação dos clientes.

 

Veja mais no website da SGS.

voltar