A Metodologia Lean em processos produtivos

01.03.2017

SISMA_Lean

Em Inglês, o termo Lean tem o seguinte significado: magro, sem desperdício. No entanto, quando lhe adicionamos o termo “metodologia” e aplicamos esta expressão a gestão de processos produtivos, o significado passa a ser "produção de bens em grande quantidade, utilizando métodos que evitam desperdício e reduzem o tempo de produção" (in Cambridge Dictionary).

Os pontos chave do Lean Manufacturing são:

  • Qualidade total imediata ("zero defeito" e detecção e solução dos problemas na sua origem)
  • Minimização do desperdício (eliminação de todas as atividades que não têm valor agregado e redes de segurança, optimização do uso dos recursos (recursos financeiros, humanos, espaço...))
  • Melhoria contínua (redução de custos, melhoria da qualidade, aumento da produtividade e partilha da informação)
  • Processos pull (a produção é despoletada por solicitação do pelo cliente final; muito utilizado em JIT-Just in Time onde não há stock)
  • Flexibilidade (produzir rapidamente diferentes lotes de grande variedade de produtos, sem comprometer a eficiência devido a volumes menores de produção)
  • Construção e manutenção de uma relação a longo prazo com os fornecedores, estabelecendo acordos para compartilhar risco, custos e informação.

 

Uma filosofia Lean considera desperdício todo e qualquer transporte/movimentação de recursos para fins que não se destinem a gerar valor na cadeia de produção. Como tal, defende a aplicação de mecanismos que visem a eliminação/minimização desses mesmos desperdícios. A optimização do fluxo passa em grande parte pela automatização dos processos e aplicação do JIT às necessidades de produção. 

Lean é basicamente tudo o que o que se relaciona com a obtenção de materiais conformes, na altura e local correctos e na quantidade correcta, minimizando o desperdício, sendo flexível e aberto a mudanças.


O Lean tem como objectivos fazer com o trabalho seja fácil de perceber, executar e gerir.


Estes conceitos de flexibilidade e mudança são necessários essencialmente para permitir o nivelamento da produção (Heijunka).Muito importante, estes conceitos devem ser compreendidos e "abraçados" pelos colaboradores envolvidos no processo de produção (e que como tal têm nas mãos os processos que adicionam valor). Os aspectos culturais e de gestão do Lean são possivelmente mais importantes do que as ferramentas ou metodologias de produção em si. Existem muitos exemplos de implementação de ferramentas Lean sem qualquer benefício sustentado, e isto é normalmente associado ao fraco conhecimento do Lean através das várias camadas organizacionais.

Na SISMA, procuramos:

  • Total satisgação do cliente
  • Inovação de processos
  • Melhoria Contínua
  • "Zero defeito"

 

Para atingir estes objectivos, utilizamos várias ferramentas como, por exemplo:

 

Trabalhamos sempre com o foco no Cliente, melhorando processos e apostando nas melhores tecnologias de produção disponíveis no mercado.

voltar